Toda história é uma jornada

Storytelling e a jornada do herói

Chegamos ao nosso terceiro capítulo. Até aqui já vimos o que é storytelling e os elementos que uma narrativa possui. Agora vamos analisar o que é a jornada do herói.

 

Na essência é como se fosse uma história que altera sua aparência, mas mantém seus acontecimentos iguais. Procure nos filmes e livros os padrões que se repetem. Até entre um romance ou um filme de ação, você consegue observar muitas similaridades.

 

Entenda que mesmo em um conto desenvolvido sem o conhecimento da estrutura, ela surge. Está intrínseca no pensamento coletivo. Parece confuso, mas ficará bem evidente à medida que você compara a jornada do herói com as histórias que você conhece.

 

Foi Joseph Campbel em seu livro “O herói de mil faces”, que analisou e constatou como as narrativas épicas e míticas nas variadas culturas eram repetições e apresentavam o mesmo modelo e sequência de acontecimentos. Posterior a ele, Christopher Vogler, roteirista de Hollywood, no seu livro “A jornada do escritor” refinou a estrutura e popularizou o percurso tornando-se um manual para a produção de filmes:

 

“Em qualquer boa história, o herói cresce e se transforma, fazendo uma jornada de um modo de ser para outro: do desespero à esperança, da fraqueza à força, da tolice à sabedoria, do amor ao ódio, e vice-versa. Essas jornadas emocionais é que agarram uma platéia e fazem com que valha a pena acompanhar uma história.” Christopher Vogler

 

Então vamos à jornada

 

A maior parte das narrativas apresenta uma divisão similar de três atos. Segundo Vogler podemos entender essa divisão como: O herói decide agir, a ação propriamente dita e as consequências da ação. Assim tempos as seguintes partes de uma história, que pode ocorrer nesta ordem ou não:

 

Mundo comum: Apresentação do universo do personagem. Antes da mudança que está por vir, assim o contraste no personagem ficará evidente.

Chamado a aventura 

Momento em que os problemas, desafios e aventuras são apresentados. Algo que balança sua zona de conforto.

 

Recusa do chamado 

O medo e hesitação de seguir frente ao chamado. Ele precisa encontrar a força para continuar e, muitas vezes, algo externo acaba pressionando a aceitação.

 

Encontro com o mentor

Aquele que fará a preparação e deixará o herói pronto para o que é desconhecido; seguindo na história com ele até determinado ponto. A partir dali o protagonista precisa ficar sozinho para mostrar o que aprendeu.

 

Travessia do primeiro limiar

A passagem para a segunda parte da história onde o herói está preparado, já lidou com seus medos e está pronto para agir. A busca pelo objeto de desejo efetivamente começa.

 

Testes, aliados, inimigos

Como o próprio nome sugere, é o momento em que podemos acompanhar a superação de testes e desafios; o encontro com aliados e inimigos que ajudarão no caminho. O protagonista começa a entender como esse mundo novo funciona.

 

Aproximação da caverna oculta

O perigo iminente, o alcance do local ou fronteira pra onde se estava indo. Todas as etapas que envolvem ficar de frente para a “morte”.

 

Provação

O confronto que deixa a plateia na expectativa. Personagens e a força hostil entram em conflito. Encare que isso pode se adequar a qualquer gênero. Em comédias românticas, por exemplo, pode ser o término temporário da relação do conflito que chegou ao ápice e afastou o casal. Ou seja, o momento em que uma grande resolução é necessária.

 

Recompensa

Superada a provação ele conquista o que foi buscar. É a celebração de um grande feito.

 

Caminho de Volta

É a perseguição do herói por causa do que ele fez, quando tudo já parecia estar ganho e resolvido. O momento de retorno para o mundo comum e as forças que dificultam.

 

Ressurreição

O último grande conflito, aquele que parecia já ter sido superado. As forças antagonistas fazendo o possível para garantir seus anseios em um último e normalmente desesperado esforço.

 

Retorno com o Elixir

A volta para o mundo comum, o momento feliz. Aqui virá o tesouro ou lição conquistada. Pode se manifestar de inúmeras formas, inclusive em ressaltar o amadurecimento do personagem.

 

Certo, mas por que preciso saber disso para fazer um webinar?

 Agora você conhece uma estrutura de história funcional, que pode lhe ajudar a construir suas apresentações. O assunto é vasto. Com um pouco de pesquisa e criatividade é possível desenvolver desde um storytelling eficiente até guiar as expectativas do público em apresentações com conteúdos progressivos. Consegue visualizar isso?

 

Aguarde o próximo capítulo para um exemplo prático da utilização de tudo o que foi visto. Até lá olhe as histórias que você conhece e tente encaixar a jornada do herói.

 

Bom caminho de volta!

Please follow and like us:
 

Leia também